segunda-feira, 5 de setembro de 2016

O Contralto da Tia Li

Cantar não é um chamado específico para mim porque todos nós fomos chamados para ressoar, coisa vinda dos céus até aos desafinados de coração. Todos podemos cantar, mas nem todos vão agradar, e faz jus ao ditado “quem canta os males espanta”. Certa vez escrevi em outra crônica sobre o cantar para Deus embora o desafino, o que vale é a palpitação do coração.
Nas igrejas existem os melhores cantores. Muitos desses músicos seculares saíram dos templos. Eles são os melhores porque foram criados para exercer adoração a Deus, mas o coração se nubla e vacalha na jornada.
Quando entrei na igreja, eu pensava que cantaria no louvor, que é a banda que toca e canta durante os cultos. Havia um teste para backing vocal para o louvor dos jovens, e corri para isso. Minha voz não se encaixava, não entendia bem aquilo, e a ministra de louvor, disse-me:
- Sua voz é boa mas fica bem para cantar no meio da congregação.
Melhor era abafar minha desafinada e ignorante voz.
Mas veio o teste do coral. Nem o fiz. A ministra de louvor olhou para mim e disse:
- Pode vir, Vandinha... – E deu uma risada conformada – Pode vir.
Então, comecei a entender o que era cantar tornando-me coralista.
Minha voz não se encaixava porque eu era contralto, a voz mais grave da ala feminina. Não arrasava tanto quanto um Soprano, tons mais agudos da ala feminina, mas quando aparecia, o blues celestial acontecia. Fui muito bem e permaneci no coral, até que entrou a Tia Li. Ela era uma mulher de cabelos curtos que sempre quando podia mudava de cor. Preto, castanho, loiro. Vestia-se muito bem! Lembro do seu terninho vermelho e camisa preta quando subia no louvor durante os cultos. Sua voz era do mais intenso contralto, e, depois que a ministra anterior foi ser missionária do Sul do Brasil, ela assumiu o posto.
Cai nas graças da Tia Li. Ela queria me colocar no louvor, mas na altura do campeonato, os céus me direcionavam para uma outra missão na terra. Mesmo assim permaneci no coral, não sabia bem o porquê.
Haviam passado duas cantatas, e tia Li me chamou para fazer um trieto de contraltos. Meu tom, claro, o mais grave, dava apoio às outras, e naquele Natal fiz meu serviço. Sai do coral na cantata de Páscoa seguinte. Encher o diafragma me dava muita tontura.
Mas a Tia Li permaneceu, dirigiu mais algumas cantatas, até que se constatou novos tumores malignos em seu corpo. Tempos antes, ela sarou, mas naquele momento, o câncer estava agressivo. Deus a levou para cantar nos céus. Ela veio de uma casa de Levitas, e tudo que Deus queria era a sua voz. Se hoje sou contralto, foi porque aprendi com ela.
Depois dela tentei entrar em outras cantatas, mas meu tempo não se encaixava. Sempre era chamada, mas nunca conseguia permanecer por falta de tempo e porque sabia das pressões que eram os ensaios.
 Todas às vezes que vejo um coral cantando, eu morro de vontade de voltar porque sempre tenho a impressão que os céus se abrem quando as vozes se unem. A Tia Li sabia fazer isso, fazer um ajuntamento para romper os céus.
Quando eu chegar lá no céu, vou cantar do lado da Tia Li, os contraltos poderosos ao Eterno, àquele que criou toda a voz.

 Vandressa Holanda Gefali
Direto desta geração

3 comentários:

Anônimo disse...

GLORIA A DEUS!!!
Vandinha..minha linda, não saberei usar as palavras tão bem quanto você, mas tentarei.
Sou grata a Deus por presenciar muitos dos momento que voce relatou acima. Tenha certeza que sua voz abençoou muitas pessoas porque Deus nos usa de uma forma que nunca imaginamos. Minha querida tia Li teria o prazer de ler esse testemunho.
Tenho muitas lembranças de como nosso grupo era espiritualmente forte. E tenho muitas saudades daquele tempo.
Se você não se importar, gostaria de dividir seu testemunho com minha familia. Tenho certeza que muitas lágrimas vão rolar pelo rosto, assim como aconteceu comigo, mas tenho certeza que isso eh uma confirmação para nós de um dos planos de Deus para minha tia aqui na terra.

Obrigada, mais uma vez de coração, pelo seu testemunho.
Beijokas.. Miss you a lot.

Lisi

Rossil Cunha Basilio rossil disse...

Sem duvida Deus nos usa de diversas formas e sei que Ele, assim como usou a Heliani, tia Li, está usando você agora. A Biblia nos fala que todos os membros de um corpo tem suas funções e o formam. E nenhum deles faz o que o outro faz, a não ser que Deus o direcione.
Feliz pelo seu testemunho. Certamente nos encontraremos num dia preparado pelo PAI, para o retorno de JESUS e a nossa união no coral de anjos junto dele.
Deus te guie, guarde e abençoe. E com sua vida abençoe muitas outras.

Rossil

Vandressa Gefali disse...

Obrigada, Rossil, por abençoar a minha vida. Esse é o principal propósito do "Esta Geração" - abençoar vidas e testemunhar do poder de Deus. Paz.