terça-feira, 25 de setembro de 2012

O decorador


Deus está alterando tudo por aqui. Ele está trocando os móveis do lugar e jogando fora os que são velhos. Está pintando as paredes de outras cores, está mobiliando e modificando os enxovais da alma que concede que assim o faça.
Tudo está ficando diferente. A primeira diferença é a bagunça que se fez ao tirar os móveis. As teias e as poeiras se ergueram, parece um pandemônio, uma tempestade passando. As mobílias que se arrastam também arranham os ouvidos e a batida das ferramentas e de aço contra aço é quase ensurdecedor. Paro, então, e penso: Meu ser está uma bagunça. Temporária e necessária.
Mas, à medida que os dias passam, os olhos contemplam outra paisagem. Eles se iluminam e podem ver que há uma diferença que grita, permitindo que se volte a respirar.
Os ferreiros já passaram a faxineira já limpou e se foi... Contudo à porta está o decorador. Ele pergunta se ficou bom, e eu digo que ficou além das expectativas. Ele me deixa o seu cartão e me diz que quando precisar Ele estará à disposição. Pago-o com gratidão insuficiente para o que se fez, e passo a viver com a visão do Decorador.

Vandressa Holanda Gefali
Direto desta geração.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Para que tempestade se Jesus está aqui?


Para quê? Pensei eu quando sai para almoçar nesse dia quente de meados de setembro. Há uma paz tão imensa que só Deus pode conceder essa quietude.
Jesus está no meu barco.
O tumulto das águas que me confrontam só respinga no meu rosto ao bater da borda do meu barco da vida. Jesus está sempre aqui, dormindo... Querendo que eu apenas use da autoridade que Ele me deu de fazer calar as muitas águas.
Que as águas se calem! Cala-te turbilhão!
Não tem como eu me preocupar, não alcanço tal posição. Não sei por que às vezes faço dela uma armadura, sendo ela verdadeiramente frágil e em nada me protegerá. Se Jesus dorme no barco, eu dormirei também.
Eu ando e durmo na sua paz que excedeu meu entendimento. Isso já não se pode explicar, só posso viver e ensinar a muitos que assim vivam, porque assim é mais gostoso viver.
Vandressa Holanda Gefali
Direto desta geração.

domingo, 9 de setembro de 2012

Conselhos de um juvena


Estou ficando velha, meu amigo. Estou ficando velha, mas mantenho a mente juvena e ando com juvenas.
Não subestimo mais quem é mais novo do que eu. Mania besta de alguém que é velho e não se reforma jamais. A mente fresca de um jovem pode fazê-lo errar e levar pessoas ao seu erro também. Contudo, quando o jovem anda nos caminhos do Senhor, esse será um cara ou uma mina que estraçalha as trevas e finca estacas do Reino dos céus.
Estou no meio de uma geração que não é a minha. Sinto-me como Calebe, um velho numa geração de novos, mas um velho que vai viver a promessa e vibrará como uma criança em diversão. Eu viverei todas as promessas que Deus preparou para mim.
A maioria dos meus atuais amigos são tenros; querem estar perto de mim para aprender algo, e eu percebo e dou Glória a Deus por ser um exemplo. Entretanto, de vez em quando me surpreendo com conselhos de uma mocinha que talvez ninguém dê nada por ela; ou do rapaz que quieto e ainda ensina como desejar ainda mais a Deus.
Basta de barreiras que colocamos; um jovem pode ser o que nenhum velho sonhou ser.
Vandressa Holanda Gefali
Direto desta geração.